OGIER VENCE UM MONTE CARLO CHEIO DE EMOÇÕES

À partida para a Power Stage, o último troço do Rali de Monte Carlo, Sébastien Ogier estava no comando com apenas 0,4 segundos de vantagem para Thierry Neuville. No derradeiro troço, Ogier foi mais rápido 1,8 segundos que Neuville, acabando a prova com uma escassa vantagem de 2,2 segundos. Um duelo constante entre os dois pilotos que assumiram desde o começo o favoritismo para vencer a primeira prova do WRC 2019Para além de um controlo feroz, entre os dois candidatos, Tanak, Loeb e Latvala animaram ao máximo o rali numa luta fantástica pelo 3º lugar do pódio. Aqui Tanak e a Toyota tiveram melhor estratégia, com o estónio a vencer 7 dos 16 troços da prova e a subir ao lugar mais baixo do pódio, mas já a 2m15,2 de Ogier.

Quem tem Ogier tem tudo. Foi o que constatou a Citroen ao fazer regressar o campeão do mundo à equipa, e logo para vencer a primeira prova do ano, após um duelo cativante com Neuville, o seu grande adversário da Hyundai que deu o máximo para contrariar as 6 vitórias consecutivas do francês em Monte Carlo. Esta é a 45ª vitória de Ogier, a 7ª em Monte Carlo e a 100ª da Citroen no WRC. O pódio ficou completo com Ott Tanak, precisamente os três pilotos que animaram a época passada e voltam a prometer grandes duelos durante todos os ralis deste ano. Tanak foi o piloto que mais troços venceu, com 7 triunfos, Neuville ganhou 3 especiais, Ogier e Loeb venceram dois troços cada um, enquanto Latvala e Meeke ganharam uma especial.

Na Power Stage o triunfo pertenceu a Kris Meeke, que ganhou assim os 5 pontos adicionais, seguido por Ogier, Neuville, Tanak e Suninen. E foi precisamente neste derradeiro troço de Monte Carlo que o campeão Ogier marcou a diferença no duelo constante com Neuville que durou até aos últimos metros do rali. Regressado das areias do Peru, onde esteve a disputar o Dakar, Sébastien Loeb acabou por realizar uma rali de alto nível na sua estreia ao volante de um Hyundai i20 WRC, terminando a prova no 4º lugar a 2m28,2 do vencedor e apenas a 13 segundos do 3º lugar ocupado por Tanak, com uma vantagem muito curta de 1,7 segundos para Latvala que viria a terminar a prova no 5º lugar à frente do seu novo colega de equipa Kris Meeke, que se estreou ao volante de outro Toyota Yaris WRC.

Entre os WRC2 o triunfo pertenceu ao Ford Fiesta R5 do britânico Gus Greensmith, que averbou a primeira vitória da sua carreira nesta categoria, vencendo também a nova categoria WRC2 Pro. Greensmith venceu com 52 segundos de vantagem para o Citroen C3 R5 de Yoann Bonato e mais de um minuto de vantagem para o Hyundai i20 R5 de Stéphane Sarrazin.

Comments