O PROBLEMA DOS RALIS DE LONGA DISTÂNCIA DO WRC

O desastroso baixo número de inscrições do Rali Austrália enfatizou a relevância insatisfatória dos eventos de longa distância do WRC. Na Austrália inscreveram-se 29 equipas, duas delas foram rejeitadas devido a não conformidade técnica dos carros e outras duas equipas não compareceram por razões logísticas.

Os 25 que arrancaram para a prova, tipificam os problemas dos ralis de longa distância do WRC. O Rali do Brasil, em 1981 teve o menor número de inscritos do WRC e com apenas uma exceção, o único evento europeu que atraiu menos de 30 participantes foi o Monte Carlo de 1997, um número criado artificialmente devido ao pequeno número de equipas que poderiam ser acomodados pelos organizadores no parque de assistência final da cidade no Mónaco.

Argentina, México, Jordânia, EUA, Costa do Marfim, Chipre tiveram também quase poucos inscritos, mas o número mais baixo de um evento europeu em circunstâncias regulares foi 31, em 2010, no Rali da Grã-Bretanha. É frustrante que os promotores do WRC continuem em busca doutros eventos de longa distância enquanto este problema de baixo número de inscrições continua. Pelo menos o Rali do Japão tem sempre atraído muito mais inscritos.

 

 

Fonte:Autosport.pt

Comments