ANDAMENTO FORTE NÃO FOI RECOMPENSADO

Depois de estar na liderança graças à excelente vitória na primeira Especial do dia – o troço mais difícil de toda a jornada de hoje – Craig Breen e Scott Martin foram ingloriamente relegados para o oitavo lugar, devido a dois furos infligidos pelas pedras aguçadas que abundam nas duras Especiais turcas. Infelizmente, o impacto sucessivo dessas mesmas pedras ditaram também o abandono de Mads Østberg e Torstein Eriksen na ES6, com um braço de suspensão partido, numa altura em que a dupla escandinava ocupava o quinto posto à geral. Durante a maior parte do dia, Østberg e Eriksen mantiveram-se, com firmeza, no terceiro posto. Quanto a Khalid Al Qassimi e Chris Patterson, foram obrigados a abandonar a Etapa devido a um problema  técnico.

Com mais de 38 km de extensão, ao longo de um percurso com constantes mudanças de andamento, em secções sinuosas e muito técnicas, com pisos muito agressivos e pedregosos, Cetibeli – a primeira Especial do dia e também a mais longa de todo o fim de semana – submeteu as equipas a um duro e intimidante teste de resistência. Contudo, foi nesta Especial que Craig Breen decidiu mostrar o seu forte andamento, e o forte andamento do C3, demonstrando também a sua excelente capacidade para recolher notas de navegação em apenas duas sessões de reconhecimento. O irlandês exibiu uma performance dominante para levar de vencida a Especial e instalar-se no comando da prova, o que acontecet pela primeira vez na sua carreira no WRC. De seguida, continuou a registar bons tempos, sem deixar de olhar pelo seu carro nas duras estradas turcas, tendo terminado a primeira passagem pelos troços no segundo lugar, apenas a 6,3s do líder. Porém, a segunda passagem viria a testemunhar mais um momento de azar do piloto irlandês: dois furos consecutivos (ES5 e ES6) fizeram com que caísse para a oitava posição, a 50,1s do primeiro classificado. Uma diferença que, mesmo assim, lhe garante algumas esperanças de um resultado digno, dada a probabilidade de ocorrerem mais reviravoltas dramáticas nas Especiais, ao longo de todo o fim de semana.

 

Por seu lado, Mads Østberg, estava decidido a não ficar de fora. Terminou a ES3 em segundo, apenas a 2,1s do líder (em 21,75 km), encerrando a parte da manhã em terceiro à Geral. Quando estava a lutar arduamente na defesa do seu lugar no pódio, Østberg foi vítima de um furo lento e viu um dos seus pneus desfazer-se em andamento (ES5). Apesar de tudo, conseguia manter-se em quinto, mas os constantes impactos no duro piso acabaram por danificar irremediavelmente um braço de suspensão, forcando-o a abandonar a Etapa. Amanhã, Østberg alinhará em Rally 2.

Também Khalid Al Qassimi voltará à ação em Rally 2 no sábado, na sequência de um problema técnico que o obrigou a abandonar a Etapa de hoje. Tendo iniciado o dia de forma cautelosa para se adaptar às dificuldades locais, Al Qassimi fez saber que o seu feeling do carro foi ficando melhor com o decorrer das Especiais.

 

Com 130,62 quilómetros cumpridos ao cronómetro (divididos por seis Especiais) e duas passagens pela longa Especial de Yesibelde (34,24 km), o dia de amanhã (sábado) promete sujeitar as equipas e os seus carros a mais um duro teste de resistência…

 

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing: “Pelos vistos, parece que somos perseguidos pelo azar nas sextas feiras à tarde. É especialmente decepcionante porque, tanto o Craig como o Mads estavam, mais uma vez, a demonstrar os seus grandes dotes de condução, bem como todas as qualidades do C3 WRC, em Especiais que são particularmente difíceis em termos de adaptação, e também sem terem conhecimento prévio das estradas.”

 

Craig Breen: “Foi muito frustrante ter dois furos porque estava a ter imenso cuidado e a colocar o carro ao meio da estrada. Mas o rali ainda não chegou ao fim. O Neuville e o Ogier mostraram hoje que é possível ser-se rápido mesmo quando se é um dos primeiros a sair para a Estrada. Por isso, amanhã vou tentar tudo para andar no mesmo ritmo em que andámos hoje.”

 

Mads Ostberg: “Foi uma pena termos acabado o dia assim, um dia que tinha começado tão bem. Estávamos a lutar no grupo com acesso ao pódio e, ao mesmo, a tentar olhar pela saúde do carro. Infelizmente, estas estradas tão demolidoras deram cabo de um braço de suspensão do nosso C3 WRC.”

 

Khalid Al Qassimi: “Estava a adaptar-me aos troços e ao carro, com o objetivo de aumentar gradualmente de ritmo, quando o nosso dia acabou de forma abrupta e prematura devido a um problema técnico. Os meus colegas de equipa fizeram excelentes tempos e mostraram um forte andamento, por isso, a equipa merecia hoje um desfecho bem melhor.”

 

RALI DA TURQUIA

CLASSIFICAÇÃO NO FINAL DO DIA 2

  1. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 1:52:28.2
  2. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) + 0.3
  3. Mikkelsen / Jaeger (Hyundai i20 WRC) + 2.6
  4. Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) + 16.3
  5. Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) + 31.9
  6. Paddon / Marshall (Hyundai i20 WRC) +35.1
  7. Lappi / Ferm (Toyota Yaris WRC) + 36.8
  8. Breen / Martin (Citroën C3 WRC) + 50.1
  9. Suninen / Markkula (Ford Fiesta WRC) + 1:02.9

Comments