C3 R5 “APROVADO” TAMBÉM EM PISOS DE TERRA

Stéphane Lefebvre e Gabin Moreau lideraram o Rally de Portugal ao longo de 8 das 20 Especiais disputadas no passado fim de semana, tendo mesmo registado o melhor tempo numa Especial, demonstrando que o C3 R5 tem potencial para ser uma referência sobre pisos de terra. No final, o 3º lugar à geral na categoria WRC2, naquela que foi a prova de estreia do modelo neste tipo de piso,  não esconde que a dupla esteve muito perto de um resultado ainda melhor…

 

Tendo em conta que os pisos de terra dominam os ralis que compõem o calendário do WRC, esta prova era muito importante para a Citroën em termos da sua estratégia de Competição Cliente. A Marca francesa tem, portanto, todas as razões para estar satisfeita no final deste rali, em que o C3 R5 – a nova estrela da sua gama – protagonizou uma estreia de sucesso nas difíceis estradas do Rally de Portugal que fez muitas vítimas ao longo do passado fim de semana.

Tendo vencido a primeira Especial a sério (a ES2, com 26,73 km de extensão), Stéphane Lefebvre, piloto oficial da Citroën Racing, confirmou ao que vinha, terminando a ronda da manhã de sexta-feira na liderança da classe WRC2, com uma vantagem de 27,5 segundos sobre os seus adversários mais diretos. Porém, de tarde as coisas ficaram mais difíceis, nomeadamente com o furo na ES5 que resultou em danos num tubo dos travões, que se viria a manifestar na Especial seguinte, levando o talentoso francês a cair para o 3º posto da categoria.

Contudo, Lefebre não baixou os braços e a sua persistência foi recompensada quando recuperou o comando da prova na primeira Especial do segundo dia, aumentando a sua vantagem sobre o segundo classificado até aos 49,4 segundos, ao final das passagens matinais do dia de sábado. Mas outro furo na ES14 teve consequências pesadas, bloqueando a roda, levando a que a transmissão acabasse por ceder em Amarante, a Especial mais longa do rali (37,60 km). Stéphane Lefebvre demonstrou, de novo, uma enorme força e habilidade para segurar o 3º lugar do WRC2, conseguindo terminar o rali em grande estilo.

Determinado a não desistir, o francês de 26 anos recuperou, durante a etapa de domingo, 31,3s face ao 2º classificado da categoria, ao longo da distância cronometrada de 51,53 km deste último dia, terminando a apenas 17 segundos do 2º posto.

Tudo isto deixa bem claro que Stéphane Lefebvre já criou uma forte – e eficaz – ligação com o C3 R5!

Comments